Finalizar orçamento
0

A retomada do mercado de autopeças é tracionada pelo Efeito Dominó

18 de novembro de 2021

KPMG aponta crescimento acelerado, mais rápido que o esperado

A retração das atividades do mercado de autopeças, provocada pela pandemia da Covid-19 em 2020/2021 acabou conforme pesquisa da KPMG, haja visto que a crise implicou na diminuição da demanda por peças de reposição em automóveis. Menos pessoas dirigindo, e menos quilômetros rodados, em função das medidas de distanciamento social, o que implicou naturalmente menos peças e consertos.

Contudo, os dados apontam no último balanço de 2021, uma forte retomada na demanda por peças e serviços no pós-venda dos veículos, sobretudo:

1) As vendas de peças e serviços para veículos no 1º trimestre de 2022 deve espelhar e recuperar os altos níveis anteriores até 2024;

2)  Nem todos os tipos de peças e marcas irão recuperar-se ao mesmo tempo. Isso cria riscos e oportunidades para fornecedores e investidores;

3)  Nesta resiliência provocada pelo mercado, distribuidores, oficinas, prestadores de serviço em geral dedicados 100% ao setor, precisarão atingir um equilíbrio delicado e sustentável, contrabalançando a necessidade de contenção de custos com o olhar estratégico para não gerar cortes profundos que prejudiquem a sua retomada, já que muitos foram afetados economicamente ao longo da pandemia;

4)  A recuperação em 2021 já demostrou um cenário já de recuperação no acumulado de janeiro a setembro, sobre igual período de 2020, muito afetado pelos efeitos da pandemia junto aos 42 fabricantes. Portanto, todas as projeções para 2022 indicam no mínimo o dobro de faturamento perante o 2021.

FECHAR [x]

O que você
precisa hoje?